O Kindle e o iPad

É incontornável.
A Apple acaba de lançar o Ipad, um "tablet" PC que alguns chamam de "computador de sofá" e que alimentou especulações nunca vistas e uma expectativa gigantesca.

Não vou dizer que "a montanha pariu um rato" mas a verdade é que boa parte das expectativas (talvez fossem demasiado elevadas) não se cumpriu.

De qualquer forma, o iPad veio para tentar conquistar o seu "quinhão" no mercado dos ebooks. E a Apple não quer uma "migalha", quer mesmo uma "fatia de leão". Com efeito, o iPad virá equipado com uma aplicação, iBooks, destinada permitir a compra e a leitura de livros.

O problema do iPad é que, para além da leitura de livros, o equipamento não vem preencher nenhuma necessidade clara...

Gostava que ficasse claro que, embora recente, sou um fã dos produtos Apple. O iPhone é um produto incrível, não há nada parecido, digam o que disserem (é a minha opinião) e a gama iPod é excelente. O novo iPod Nano, com câmara de vídeo incluída, por exemplo, possui não só um belo design mas também funcionalidades e capacidades incríveis.

Dito isto, numa primeira análise de tudo o que vi, imagens e vídeos "hands on" por parte de jornalistas americanos, parece-me que o iPad padece de algumas limitações que acabam por afectar a qualidade do produto final. Algumas relacionadas directamente com a leitura (as que mais nos interessam aqui), outras com o próprio conceito mais geral do equipamento.

Assim, em termos de leitura de livros, surgem algumas desvantagens imediatas:

- Peso
É pesado; 680 gramas (versão com Wi-fi) ou 730 gramas (wi-fi + 3G) o que parece ser incómodo ao fim de algum tempo de leitura. Além disso "obriga" a pegar no aparelho com as duas mãos. Em contrapartida, o Kindle 2 pesa 290 gramas e o Kindle DX 530 gramas (qualquer um dos dois com 3G).

- Autonomia
O iPad possui uma autonomia (anunciada) da bateria de 10 horas. Mesmo que cumpra essa promessa, o que é duvidoso, é (naturalmente) algo de muito!! inferior à autonomia da bateria do Kindle. Os Kindles, com várias horas de leitura diária e a ligação 3G ligada possuem mais de uma semana de autonomia e, se ligar o 3G apenas uns minutos por dia, para sincronizar e comprar livros, a autonomia estende-se por duas semanas.

-  Ecrã
O ecrã do iPad é espectacular, tal como acontece com o ecrã dos iPhones e iPods Touch, mas tenho dúvidas que sejam confortáveis para uma leitura constante e permanente de livros. O mesmo acontece com os ecrãs dos netbooks, ("portáteis pequenos") ou mesmo os portáteis "convencionais", que possuem também ecrãs excelentes. Mas será que são confortáveis para ler um livro "de fio a pavio", de forma confortável e "sem compromissos"? (leia-se, sensação semelhante à da leitura em papel). Penso que não, ao contrário do que acontece com o Kindle, que é feito, única e exclusivamente para "ser lido", ou para ler. Essa é talvez a sua força (e a sua grande fraqueza, também... segundo alguns).

- Preço dos livros
Pelo menos para já as indicações dadas apontam para um custo dos livros superior ao custo dos livros na Kindle Store da Amazon. (2 a 3 dólares mais caros, aparentemente).

Em termos mais gerais colocam-se outras dúvidas e perplexidades, relativamente ao iPad:

- Não possui câmara de vídeo.
- Não permite efectuar várias tarefas ao mesmo tempo (multi-tasking), como o mais barato dos netbooks consegue.
- Os utilizadores vão ficar "limitados" às aplicação vendidas pela Apple na sua loja.
- Não carrega páginas web com "flash", o que limita de forma um pouco anormal a navegação em muuuitas páginas web.
- Não permite fazer chamadas telefónicas nem enviar mensagens SMS.

De qualquer forma, o iPad parece fazer muitas coisas mas sem ser excelente em nenhuma delas. É ainda um produto à procura de uma utilização/necessidade que "obrigue" as pessoas a comprá-lo. Será certamente, num futuro próximo, uma excelente máquina, sendo desde já muito "sexy" e apelativo, como todos os produtos Apple, mas parece-me que ainda tem um caminho mais ou menos longo a percorrer para vencer a competição que quer derrotar no seu próprio terreno: netbooks, laptops, e-readers, PCs, canibalização do próprio iTouch, etc.

Neste momento, na prática, o iPad parece ser um iPod Touch, ou um iPhone King Size, mas sem o apelo da portabilidade que aqueles equipamentos possuem...

Tentando resumir as minhas ideias direi que me parece que o Kindle (e o conceito do leitor de ebooks em geral) está longe de estar "fora de jogo". Estes produtos vão certamente coexistir; aliás os livros adquiridos no Kindle também vão poder ser lidos no novo iPad, pois todas as aplicações para o iPhone (como o Kindle iPhone) correm imediatamente no iPad. Irónico não é?

A qualidade do ecrã, a portabilidade, a autonomia da bateria, a comodidade de compra dos livros e o preço dos mesmos (sem assinatura!) e uma empresa empenhada em permanecer na vanguarda da tecnologia, são a garantia de que a compra do Kindle continuará a ser, durante os próximos tempos, uma boa opção.

Boas leituras, no Kindle, no iPad ou... em papel...já me esquecia.  :-)


.

7 comentários:

Abel disse...

Um colega meu disse que o Kindle ia "morrer" com a chegada do iPad. Mas eu discordo e digo que o iPad é algo que não vem atacar directamente o mercado dos eReaders mas sim do netbooks (como disse o Jobs na apresentação).

De facto o iPad é um aparelho excelente e o preço de facto surpreendeu-me bastante, tendo em conta que o preço é a única grande desvantagem do Kindle.

Mas como foi dito, apesar do iPad dar para ler, existem duas propriedades que ainda fazem diferença. A primeira é aquela sensação de papel que o Kindle tem. Tudo bem, o Kindle não dá para ler no escuro e o iPad dá, mas os livros também não dão para ler no escuro e para alem do mais, torna-se muito mais confortável ler em algo parecido com papel do que LCD. Eu sei, pois passo muitas horas em frente a monitores.
A segunda desvantagem é sem dúvida a bateria. Mesmo que o iPad tenha a bateria de 10 horas como é dito o Kindle vai muito mais além.
E de não esquecer outra coisa, os ciclos de carregamento. Supondo que ambos os produtos tem 200 ciclos de vida de bateria. Se carregarmos um iPad de 2 em 2 dias (utilizador casual), os ciclos serão atingidos em 400 (1 ano e pouco) dias. No caso de um Kindle, supondo que é carregado de 7 em 7 (3G ligado) já só atinge os ciclos passados 1400 dias (Quase 4 anos).
Isto claro são exemplos pois os aparelhos tem mais ciclos de vida.

Acredito que o Kindle perca alguns compradores para o iPad. Mas a verdade é que o iPad não tem as principais características do Kindle e está mais orientado em ocupar o mercado dos Netbooks do que dos eReaders, pois não é a função de um eReader servir de agenda ou ver o mail. Um eReader é para ler. Para servir de agenda, ver mails, sites, fazer documentos isso é algo para um Netbook e é ai que o iPad vai dominar.

Anónimo disse...

Os meus parabéns pelo blog. Muito útil e informativo. Tenho algumas dúvidas que talvez me possa ajudar a resolver É possível comprar livros com o Kindle em todas as lojas Amazon (Amazon France e UK, por exemplo)? Se bem percebi o Kindle não precisa de uma ligação directa à internet. É assim? A compra de livros é feita só com cartão de crédito, ou há outros sistemas de pagamentos? Entre os vários modelos do Kindle qual é o que considera melhor?

Obrigado...

Li hoje um artigo interessante no LA Times que dizia que o Kindle não tinha perdido a batalha contra o iPad. O i Pad é um hibrido; nem computador, nem notebook, nem e-reader...

Luis

Abel disse...

Caro Luis,
não sei se serei o mais indicado para responder pois sou recente no mundo do Kindle mas aqui vai.

Os livros que podes comprar com o Kindle são os que existem na Kindle Store ou na loja da Amazon desde que estejam disponíveis em formato Kindle. Já tem perto de 350.000 livros disponíveis e a crescer. Espero que mais editoras portuguesas coloquem mais livros visto que ainda não há muitos.
Mas uma coisa posso garantir, o Kindle é uma peça excelente. Recebi um recentemente e já fiz algumas experiências. E agora com a possibilidade de ler PDFs tornou-se melhor ainda. Já posso ter todos os materiais da faculdade facilmente disponíveis no meu Kindle.

Quanto ao não ser necessário ligação à internet, sim é verdade. E fiquei bastante admirado com isso. Eles oferecem a ligação à internet que por enquanto só permite aceder à loja da Amazon e à Wikipédia inglesa. Mas mesma assim é algo fenomenal. Uma pessoa não precisa de ter qualquer computador para comprar livros para o Kindle. Nem nenhuma ligação à internet. A ligação 3G oferecida no Kindle esta disponível em praticamente todo o lado onde haja rede no telemóvel. Acho bem fantástica essa propriedade.

Quanto ao método de pagamento não posso responder com certeza pois não comprei nenhum livro ainda. Acredito que o método de pagamento seja identico ao que se utiliza nas compras da Amazon. O melhor será mesmo mandar um mail à Amazon a perguntar. E eles são extremamente rápidos a responder (max 12 horas). Eu utilizei MBnet para o comprar que é idêntico a um cartão de credito temporário. Se por acaso quiser comprar um livro basta criar um novo cartão MBNet e efectuar o pagamento. Não sei se existe a possibilidade de ligar a conta da Amazon a uma conta bancaria ou não. Mas acredito que seja bem mais seguro e pratico a utilização do MBNet.

De lembrar também que foi disponibilizado o SDK do Kindle. Ou seja, os programadores já podem começar a fazer aplicações para o Kindle.
E para quem não leu ainda o Kindle traz alguns jogos escondidos de raiz. Experimenter carregar em Alt+Shift+M.

Para terminar, quando ao modelo recomendado, entre o Kindle 2 e o Kindle DX, depende um pouco do quanto se esteja disposto a pagar. Mas o Kindle DX tem uma enorme vantagem contra os seus irmãos que é o tamanho. O Kindle DX tem 9,6'' de tamanho o que faz com que seja mais fácil de ler em comparação ao Kindle 2.
Se quiser um Kindle barato e não se importar com um ecrã pequeno então é optar pelo Kindle 2. Mas se quiser um ecrã maior e mais confortável é melhor optar pelo Kindle DX.

Eu pessoalmente acho que o Kindle DX é a melhor escolha porque tem o tamanho ideal e é confortável de ler. Agora, o contra é ser mais caro. De resto acho que é a escolha mais agradável.

Mas também depende um pouco da pessoa. Pode haver quem pense o contrário.

Espero ter ajudado.

Anónimo disse...

Abel

Muito obrigado pela informação.

Pelo que vi, também acho que o kindle DX é a melhor opção para leitura. Acho que vai ser esse a minha opção...

Uma vez mais muito obrigado pelo esclarecimentos, que se revelaram bem úteis :-)

Luis

Abel disse...

Eu já tive mais tempo para testar o meu Kindle. E posso dizer que é algo mesmo fenomenal.

E fico feliz por ter ajudado.


Abel

Miguel Nabinho disse...

Tem ideia de quando o Ipad vai estar disponivel em Portugal?

José Bernardes disse...

Boa tarde,
Creio que ninguém fora da Apple sabe muito bem... por isso não o posso ajudar, lamento.
Mas veja aqui
http://www.publico.pt/Tecnologia/ipad-a-venda-em-final-de-abril-mas-nao-em-portugal_1425729

Enviar um comentário