Correio em dia

Nos últimos dias o número de seguidores do blogue tem vindo a aumentar :-) o que indica que o interesse pelo Kindle, e pelos leitores de e-books, é grande entre os falantes de língua portuguesa. Fico satisfeito, e naturalmente agradeço muito a preferência. Procurarei, dentro da minha disponibilidade de tempo, que por vezes não é muita... não desiludir os meus seguidores... e todos os outros. Curioso como isto cria em nós uma "responsabilidade" para com os nossos leitores...

Mas, fazendo jus ao título deste post queria

1. Agradecer muito ao leitor Blackthorne pelas suas palavras de incentivo. Não imagina como me deram força :-) ... ou talvez imagine, pela forma como fez o seu comentário. Muito obrigado. Vou fazendo o meu melhor e a falta de comentários por vezes pode mesmo desincentivar. Um blog sem leitores não existe!

2. Aos leitores brasileiros "Umbigo" e "Alexandre Pieske" uma palavra: Bem-vindos. O Kindle está sendo falado mais no Brasil que em Portugal, creio, mas no Brasil tudo tem uma escala diferente. Basta ver os conteúdos educativos em língua portuguesa disponíveis na web. Grande parte dos conteúdos de grande qualidade e imaginação vem mesmo do Brasil e não de Portugal.

Respondendo à questão concreta dos custos alfandegários a pagar em Portugal,  posso dizer (adaptando resposta anterior que dei no blogue Ciberescritas):

"Quanto aos direitos alfandegários, são devidamente discriminados pela Amazon no momento da encomenda e o valor é de 68,76 USD. (Total a debitar - incluindo capa de protecção - 404,72 USD - Conversão para Euros no cartão de Crédito já disponível - 274 Eur) (...) ."


Acrescento ainda que, entretanto, o preço do Kindle baixou 20 USD e, antes do valor ser debitado no cartão de crédito a Amazon creditou-me esse valor.


Relativamente à importação do Kindle para o Brasil há uma história curiosa. Em Dezembro um advogado brasileiro contestou o valor das taxas alfandegárias porque o seu valor era idêntico ao valor do equipamento, o que duplicava, na prática o preço do Kindle. Ele recorreu para os tribunais e ganhou a causa. A administração fiscal brasileira terá sido impedida de cobrar as taxas de importação, com o argumento de que se tratava de um livro e não de um equipamento electrónico. Não sei o caso faz de imediato jurisprudência com força obrigatória geral mas, estando no Brasil, pode investigar melhor :-) . Pista - Notícia de o Globo Online.


Quanto à questão das ligações Kindle no Brasil, deverá ter rede wireless (sem fio) e acesso à loja da Amazon sem fio desde que ... tenha rede celular (GSM) no local onde vive ou trabalha. O Kindle liga-se à rede celular dos países onde a AT&T possui acordos de "roaming" pelo que, se na sua zona existir rede celular GSM em princípio (em princípio, repito) deverá também ter ligação sem fios para o Kindle.


Obrigado a todos mais uma vez. Aguardo as vossas dúvidas e prometo para muito breve imagens, de mais qualidade que as últimas que publiquei :-) , dos protectores de ecrã do Kindle, as imagens que o Kindle mostra quando está em "descanso".




2 comentários:

Umbigo disse...

José Bernardes, obrigado pela recepção, pela menção...

Outras impressões sobre o Kindle encontrei no "Blog da Garota Sem Fio": ((www.garotasemfio.com.br/blog/2010/01/12/review-kindle/))

A ansiedade é grande, mas, pelo visto, o melhor é contê-la durante todo o ano de 2010, em face dos novos lançamentos e da eventual queda de preço.

Porém, se o advogado conterrâneo obtiver sucesso nas instâncias superiores, até eu vou impetrar um mandado de segurança para me ver livre das abusivas taxas de importação para ter o meu atual objeto de consumo. (Risos)

Abraço, tudo de bom, até mais.

"Umbigo"
Pernambuco, Brasil.

Alexandre Pieske disse...

Prezado José
Obrigado pela resposta e menção no post.
Abraços brazucas para si.

Enviar um comentário